Resenha| Gorillaz, Humanz (2017)

Do clipe da faixa 19/2000 remixado pelo Soulchild ao lançamento de Plastic Beach – e o álbum “solo” de 2D, The Fall – a banda virtual Gorillaz marcou seu lugar no coração dos fãs de música boa. Sim, música boa, já que quem conhece pelo menos um pouco do trabalho de Damon Albarn sabe que o estilo de suas composições vão do reggae ao alternative rock e perpassam uma enorme gama de estilos no caminho entre um e outro com maestria.

b7b8c7e9.jpg

Eles estão de volta.

Há quem diga que a banda – que bombou nos anos 2000 e fez parte da infância/adolescência de muita gente – já definiu um estilo próprio e é simplesmente impossível nomear o gênero na qual ela se encaixa. Outros, que a banda nada mais é do que um fetichismo digital similar ao que vemos no oriente com Hatsune Miku e afins. O que importa é que, depois de quase 7 anos sem dar um suspiro digital, 2D, Murdoc, Noddle e Russel estão de volta. E voltaram em grande estilo.

Sonoridade “exclusiva”.

Humanz surge como uma erupção. Em meio a uma mídia cada vez mais saturada, onde artistas – de vários níveis de qualidade – lançam cada vez mais do mesmo, o projeto de Albarn e do ilustrador Jamie Hewlett volta a vida no momento certo. É interessante ouvir mais uma vez conteúdo fresco de um projeto com tanta…identidade.

gorillaz___humanz_by_pinkishgiovanna-db4wqpd

Essa fanart está sensacional.

Talvez essa seja a palavra perfeita pra definir todo o espectro que envolve a banda. Apesar de todos os álbuns compartilharem da mesma “excentricidade” no que tange a seus possíveis gêneros, é incrível como ao ouvir música após música desse álbum novo essa fórmula se prova infalível. Como produzir conteúdo saturado se tudo que você produz  é completamente distinto de qualquer coisa que você já fez? A diferença é nitída música a música.

O novo álbum talvez seja o pináculo dessa máxima tão confusa. Com suas 26 faixas, Humanz é uma montanha russa de sensações, com músicas que se interligam e criam um grande contraste de estilo pra logo depois “terminarem” e darem lugar a algo completamente novo. E por causa disso, é fácil perceber que Gorillaz não é pra todo mundo.

Quando complicado é mais gostoso.
maxresdefault.jpg

Ah o bom e velho Plastic Beach…

Entenda o que eu quero dizer antes de me apedrejar: Não estou dizendo que Humanz é uma obra de arte cuja complexidade só pode ser entendida por seres iluminados. Não. Humanz é a atual magnum opus de um grupo que praticamente não tem estilo musical definido. É algo completamente novo e soa até mesmo como música experimental em alguns momentos. Então se você acha palhaçada ficar escutando música por música, tentando entender perspectivas e curtindo o som e quer simplesmente algo puramente divertido pra ouvir, talvez essa não seja sua praia.

Pelo menos não o álbum inteiro, já que como os próprios singles Let Me Out e Saturnz Barz e outras como The Apprentice podem provar, músicas agitadas e empolgantes também estão presentes no disco. Mas ai já não é comigo dizer o que você curte e deve ou não ouvir, então se você me pedisse um conselho, ele seria: Vai na fé e se prepara pra algo único. Pra você que já é fã da banda, Humanz soa como o reencontro com um velho amigo que cresceu, mas em momento algum perdeu aquilo que o tornava legal.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Humanz é o retorno triunfal de um projeto magnífico. Damon Albarn mostra toda sua genialidade mais uma vez, com faixas divertidas – como as já citadas Saturn Barz e Let Me Out – e canções belíssimas como as fantásticas Carnival, Busted And Blue e Sex Murder Party e faz isso tudo com primor mantendo a marca registrada da banda: Sua identidade inigualável.

c43ce1171ed68be9590049cf42d6d617.jpg

O 2D tá estranho mas a arte é legal.

Recheado de críticas políticas e referências aos tempos em que vivemos, com faixas que exalam qualidade musical e talento – não só de Albarn mas de todos os inúmeros artistas convidados – Humanz, mais do que os outros álbuns da banda, pode não agradar a todo mundo, mas é indiscutivelmente sensacional.

FAIXAS DESTAQUE: Saturn Barz(ft.Popcaan), Submission(ft. Danny Brown & Kelela), Busted And Blue, Carnival(ft. Anthony Hamilton), She’s My Collar(ft. Kali Uchis), Hallelujah Money(ft. Benjamin Clementine), Let Me Out(ft. Mavis Staples & Pusha T.) e Sex Murder Party(ft. Jamie Principle & Zebra Katz)

NOTA: 9/10Espetacular em sua singularidade, Humanz é uma obra primorosamente forjada, e provavelmente, a magnum opus da banda.

Eu vou ficando por aqui, você pode ouvir o álbum na íntegra no Spotify! Não se esquece de dar aquele joinha na nossa página no Facebook e de se inscrever no nosso canal do YouTube pra não perder nada! Valeu, falou e que a força esteja com vocês 😉

Resenha por Josuá Ventura Nobre

Gorillaz, Humanz(Deluxe); 28 de abril de 2017

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s